quinta-feira, outubro 19

O Homem é tonto ou é mulher

O Homem ou é tonto ou é mulher
Gonçalo M. Tavares
Campos e Letras
Colecção: Instantes de Leitura - n.º 31
1ª Edição Abril 2002

Não aprecio alguns dos olhares com que Gonçalo Tavares desenha a sua escrita, mas cativa-me o estilo. À falta de outra classificação chamar-lhe-ei estilo “pensativo”. Não é poesia, nem ficção, nem romance, nem dramaturgia,,, são pensamentos irrequietos dos vários eus que lhe vivem nas letras e que se lhe soltam das mãos. Escreve divertido. Sente-se em cada frase, em cada página, um enorme sorriso de gozo escondido. É o divertimento (interior) que detecto, nos inúmeros e multifacetados escritos de Gonçalo Tavares, que me atrai, mesmo que não veja a vida do mesmo ângulo com que ele a olha!
(...)
“Gosto de viajar quando o mundo dorme
porque assim consigo ver as coisas a respirarem naturalmente.
Só se é natural quando se dorme.
Quem acorda, acorda os instintos de sobrevivência.
É melhor andar por cima da terra quando ela dorme, do que quando ela quer sobreviver.
Quando a Natureza dorme podemos correr À vontade pois será impossível tropeçarmos, será impossível sermos lentos ou demasiados rápidos.
O nosso ritmo é o certo.
Tudo vive no seu sítio e nós observamos, acordados, as coisas do alto.”

(...)

“Um dia um professor de física pediu-me para calcular a energia libertada no choque do corpo de um menino que caíra da altura de 50 metros.
Eu respondi-lhe que se o menino fosse mesmo menino nunca chegaria ao chão, mais que não fosse por teimosia.
As crianças são muito teimosas, toda a gente sabe.
Têm a mania de contrariar.
Se lhes dizem: faz isto!
é mais do que certo que eles não o fazem.
Está-lhes no sangue.
Por isso é que eu respondi aquilo ao professor de física.
- Se o peso do corpo quer obrigar o menino a cair, é certo que ele vai contrariar essa ordem e não vai cair; isto parecve-me lógico, não é?
Pois é: Resultado: chumbei!
Uns broncos estes professores!”

(...)

Sem comentários: