quarta-feira, março 26

Lavagante : encontro desabitado

José Cardoso Pires
Edições Nelson de Matos

Sendo um diálogo entre dois amigos, é na verdade um monólogo de um homem solitário, que se passeia na memória, entre os fumos e a bebida, degustada com a lentidão que só a solidão sabe imprimir. Sente-se essa lentidão, vive-se essa solidão...o narrador não consegue esconder como sendo sua…Sem darmos conta, sentimos José Cardoso Pires a passear-se só entre a névoa dos bares, sentimos o odor do tabaco e elevar-se em nuvem , e sem darmos conta aperta-se o coração de saudade, de um Cardoso Pires, Inteiro, Real, A contar-nos as suas, e as nossas histórias
Posted by Picasa

12 comentários:

Menina Marota disse...

Meu Amigo, um livro que prometo que vou ler. Aliás, vou para já, adicionar o título à lista dos livros que tenho para ler... agora que o meu tempo é infinito e sou livre como os passarinhos, para me dedicar à leitura, claro! :-)))
Beijinho
O.

Ana Luar disse...

Fica a recomendação de um livro a ler...
Obrigada Jeremias

Anónimo disse...

Hum este ainda não li.

Ando às voltas com um do José Luis Peixoto.

Este promete...

A Teimosa!

jeremias disse...

Menina Marota: ao ler o teu comentário roeu-me a inveja. quando olho para a minha estante de livros por abrir, salta-me a angustia de os não poder viver todos ao mesmo tempo. Ando sempre a adiar mil coisas para o momento dessa liberdade, mas depois fico na duvida se me sentiria bem, preso a essa mesma liberdade..e comecei a divagar. Quanto ao "lavagante" espero que gostes. Na verdade é um texto antigo de Cardoso Pires que ressurgiu agora em forma de livro...Por vezes pergunto-me se é justo publicar textos não acabados... é como olhar uma escultura inacabada, falta o olhar do autor...Mas a saudade é tanta ,que devoramos estas novas palavras como quem se sacia da sede...

jeremias disse...

anónima: ainda com a Cal???? Vai sair um novo, de poemas

jeremias disse...

ana: espero que gostes. No entanto a escrita de Cardoso Pires é "muito marialva" ...

Anónimo disse...

nao nao nao é a Cal é o Nenhum Olhar editado pela Bertrand em Lisboa 2007, 7ªEdição.

A Teimosa

jeremias disse...

teimosa: mas esse livro é da idade da pedra lascada ehhehehhe. vai sair um novo de poemas

Anónimo disse...

hummm

tá bem, desta vez não digo mais nada.

grrrrrrrrrr

jeremias disse...

teimosa:pronto eu não digo mais nada, nem que o novo livro de poemas de josé luis peixoto se chama "gaveta de papeis" da Quasi e sai para a semana...

Anónimo disse...

grrrrrrrrrrr

Anónimo disse...

mas que jogo de esgrima!!! lol
nani