quarta-feira, outubro 15

O criado Secreto

Daniel Silva


Os livros de Daniel Silva e do seu agente secreto / restaurador de quadros, israelita , tem uma actualidade e um pragmatismo que obriga o leitor a reflectir sobre o mundo geopolítico que o rodeia. Apesar de não conseguir ser neutro, na análise, Daniel Silva escreve com uma frieza arrepiante. A indiferença com que são descritos os atentados terroristas em Londres, é arrepiante . Tem o mérito de ter criado um anti-heroi, que nos obriga a reflectir até que ponto é legitimo lutarmos pela sobrevivência de uma cultura, de nos organizarmos de forma a expandir a nossa hegemonia perante outras culturas. É um livro que convive com o fanatismo , da mesma forma que também nós passámos a conviver com esse fundamentalismo e nos habituámos a ele sem o questionar, sem o combater. Este livro é uma fotografia dos sobreviventes, sejam eles quais forem, usem o método que usarem...