segunda-feira, dezembro 28

sexta-feira, dezembro 25

quinta-feira, dezembro 3

ao contrário

Uma árvore disse-me, na manhã que insistia em não acordar
(ainda gostava de saber porque me falam as árvores?
E os pássaros?
E as papoilas?)

em segredos de vento
“veste-te do silêncio dos passos
sorve o mel das borboletas
e desenha-te
Janela!!!”

Mas eu faço tudo ao contrário, grito o silêncio e desenho-me sombra estilhaçada no pó das borboletas onde tatuo os meus passos…