segunda-feira, janeiro 3

pedra ( cristal?)

Escrevo, Normalmente no vazio, A respirar desenhos que não sei pintar, Caminho no que escrevo.

Passeio-me no ar que me pensa , que se impregna de mar e vagueio-me, sem vagar.

Vagas da noite...

Escrevo, A sonhar.

O que se passa entre os passos do voo , e o que não se passa no meu olhar, é o que resta da luz que ficou por desenhar, e é aí nesse vento, no desalento da noite, que eu estou.

Pedra e Cal!