segunda-feira, setembro 3

na sombra da minha árvore

Sentei-me a teu lado. A sentir-te. Ouvi-te a seiva a passear-se na sombra do vento. Abraçaste-me entre suspiros. Querias viajar, disseste-me. Ofereceste-me uma das tuas folhas e levei-a como se te transportasse inteira. Nunca te conheci criança, mas lembro-me das tardes de sol em que nos riamos os dois, como se o mundo só existisse para nós. Hoje senti-te cansada de angústias. Amanhã conto-te a viagem. Vou levar-te a ver o Mar, onde não há sombras. Vais gostar. Acredita. Lá os pássaros são brancos e o vento é salgado e nós ouvimos o sonho para de lá dos búzios…