terça-feira, outubro 23

desencontros

O pior dos desencontros, é encarar o nosso eu, fragmentado em estilhaços de imagens sem sentido,
a viver,
não na memória
mas nos gestos ( sem mim)…
Passeio-me a sonambular, sem sol nem sombra, por aí…
Fantasma?
(Esponja que me suga as cores,,,e lastra os passos,
Irreal…)

Isto de me sentir espantalho de mim, é loucura a pingar quadros de Dali…







ah,
soubesse eu sair de dentro de mim…e não seria este mar sem sal



( vórtice?

fim?)

4 comentários:

musalia disse...

dou por mim a olhar-me e a tentar entender o que vejo (ou não vejo)

bjs.

Maria Moura disse...

Deixa lá, Jeremias, há mais quem se passeie assim!

Anónimo disse...

um colo ajuda???
tens o meu inteiro!!!
nani

Anónimo disse...

bom comeco