sábado, dezembro 22

desencontros numa esquina qualquer

Dei comigo, entre a esquina do horizonte, a correr sujo de sonhos e de tempo, como quem se desencontra com a sombra e se lembra de a colorir.

6 comentários:

Anónimo disse...

Feliz Natal!

Pi

© Piedade Araújo Sol disse...

Jeremias

Foste agraciado com um premio, quando puderes passa no meu maresias.

Obrigada!

Ana Luar disse...

Se o motivo do desencontro é a cor... bendito desenlace!

jeremias disse...

Ana lunar: antes de mais um obrigado pela visita. é sempre bom descobrir novos olhos, novos sentires e só com a partilha se consegue dar novos passos. sentir o que os outros olhos dizem, é um jogo de vida com o qual nos maravilhamos com as mais subtis das descobertas ( haverá algo mais maravilhoso do que descobrir o que o outro vê? Como o outro vê? Tenta! Quando o conseguires sentirás um enorme sorriso, no silêncio de ti)!.
Relativamente ao comentário, apenas te deixo a motivação que me levou a escrever o que leste:
Tentar pintar a nossa proporia sombra é na verdade um desencontro com o eu, só possível compatibilizar com o sonho. correr sujo de sonhos, é correr na nossa solidão. colori-la é entrar no nossa mais profunda fantasia. a esquina do horizonte, é a porta de entrada para esse nosso mundo de sorrisos desenhados. quando estou no mar, e olho o horizonte, levanto voo com a primeira gaivota que me cruza a vela e o vento. é nesse mundo que me oiço...

jeremias disse...

pi: desejo-te um feliz ano de 2008 e que neste ano que aí vem , a tua poesia chegue a mais leitores. publicar novo livro de poesias tuas é obrigatório!

© Piedade Araújo Sol disse...

Obrigada Jeremias!


E que o ano de 2008 seja um discorrer de ainda mais inspiração. tambem quero mais poesia tua!

Beijo