sexta-feira, julho 31

Onde?

onde estás tu, poeta?
tu que te passeavas pelo sangue das minhas veias
que te vestias com a minha alma
Onde estas?
por onde andas tu, poeta-menino-índio?
tu que te escondias na sub-pele das minhas lágrimas, a sorrir,
por onde habitas?
em que masmorra te meti que  já não te sinto os sons com que musicavas as palavras do meu sentir?

1 comentário:

Ana Rodrigues disse...

Anda acespreitar por detrás dos olhos em registo de fotografias!!!