sexta-feira, junho 12

silêncio(s)

Habito-me de silencio,
de silêncios, duros, 
sem ventos.
Só me oiço nos passos,
laços que me param, estrangulam e me pisam.
Resta-me o sentir,
em turbilhão

furacão de mim...