segunda-feira, agosto 3

o pintor de cores

Conheci um menino, em menino, que pintava pássaros. 
Não no desenho, 
agarrava-os, com cuidados de borboleta e pintava-os. 
Pena a pena. 
Cor a cor.
Cores só dele!
O menino que conheci, menino eu também, era pintor de cores e de pássaros. Re-coloria as próprias cores com cores só dele.
Um dia,
cheio de sorrisos, ébrio de alegrias simples, como quem pinta cores em sopros suaves de brisa,
disse-me…ainda eu menino a transbordar de interrogações sobre o nome das cores com que ele pintava os pássaros, 
“sabes, a verdade é a coisa mais complicada do céu!"

Para ele menino e para mim , menino também, 
“ céu” 
tinha o tamanho inteiro do universo, e se a “ verdade” para ele era o assunto mais complicado daquela coisa enorme que não cabia no olhar, deveria mesmo ser o tema mais dificil de entender, muito mais que pintar as cores , de cores que só ele sabia...


O menino sabia, e eu muito mais tarde também que a verdade das suas cores, só ele as tinhas no olhar e isso tornava todas as coisas complicadas e estranhas na mais simples das coisas, tatuadas no sorriso de quem respira o universo…