quinta-feira, abril 13

fronteira




vivo entre a linha do desenho e as palavras que sussurram o suor do sentir.
talvez eu seja apenas este continuo intervalo ( fronteira?),
esta pele,
entre o eu e o que sou...

permanentemente pele,
constantemente sentir,
sem desenho finito ( acabado?),

esboço eterno de mim...