domingo, abril 13

re-escrever

disperso,
cada letra
( uma a uma)
para reinventar a palavra
disseco o som-da-morte-à-espera-do-sol-e-da-semente
e desenho
raízes…
oiço cada uma
( palavra)

árvore invertida a desfazer-se no rio,
( rio-me)

a névoa grita-me, a crepitar palavras-palhaço
( aflita)

e pinto-me
( de novo...)

2 comentários:

Rosa Brava disse...

Reinventar a palavra. o sorriso, a alegria que nunca está perdida, mas sempre oculta...

Bj e bom domingo ;))

Anónimo disse...

a tristeza é uma praga.

manda-a embora sff.

beij