domingo, junho 14

Fado ( meu)

Guitarra,

guitarra que ardes em lamentos d'agua,

que choras na angustia da alma,

esta saudade

de rio sem idade...

Guitarra

Guitarra minha que sibilas sem norte,

a solidão de seres gaivota,

errante,

e respiras, calada o voar deste teu fado ,

alado...

Guitarra que suspiras, triste,

afagada no sonho do menino que não existe...

embalada no gemido da morte…


1 comentário:

© Piedade Araújo Sol disse...

o teu estilo, em fase triste.

beij