quinta-feira, setembro 6

gotas ( lagrimas? ) do tempo




não sei explicar a gaivota
nem a criança,
nem o mar,
só o vento me encontra
nos pigmentos-da-sombra
que me enferma a alma e o desenho ( olhar?)
tenho o peso exato do sonho  que deambula no labirinto que se esconde no horizonte da pele e nas gotas do tempo…

Sem comentários: