quinta-feira, outubro 18

toco.te

Toco.te,
na ausência do corpo, nas fronteiras da pele, castanho mel,
na doçura do de um sorriso.
(Do teu sorriso).
Toco,te ,
tatuagem rubra, flor do mar.
Toco.te,
em embalo de amante no segredo de um sentir sem acaso,
na ocaso das noites.
Toco.te,
sem a ansiedade do sol, à descoberta  dos afectos que me absorvem de perfume.
(Do teu perfume).
Procuro.te,
na luz das estrelas,
no sopro das árvores,
nos olhos das nuvens.
Toco.te,
no labirinto dos corpos que se falam em sussurros,
em alimento que se desnuda
no prazer de um beijo.

2 comentários:

© Piedade Araújo Sol disse...

terno e tão bonito!

gostei muito, muito.

um beij

Rosa Brava disse...

Concordo com a Pi.... bonito e sensual este poema.
Gostei. :-)))