terça-feira, janeiro 22

joana


Tens um rosto, e um nome,
o rosto é este, 
o nome joana…
teres tudo isto nos meus olhos, transforma a angustia dos silêncios numa tempestade de ventos e de mar...

Mas tu continuas ali no teu silêncio-de-lama, resignada de sorrisos azuis…
tu, mendigas pão,
eu , imploro-te sorrisos, mendigo de vazios que me ferem com a lentidão da impotência de não te permitir caminhos...