segunda-feira, julho 2

(des)voares

prendi-me de asas, ás asas da água, e dilui-me na noite do vento ( como quem esvoaça, agrilhoado ao sonho que passa...)

1 comentário:

seilá disse...

desenhei a preto
em mataborr�o
a tra�os de carv�o
desenhei uma mancha
um deserto
uma saudade
(porque n�o desenhei a tinta
n�o percebo!)