segunda-feira, fevereiro 4

Iludir a noite

Sento-me,
na solidão da tarde
a imaginar o sol..


Ambos,
Longe
A tarde e o sol…
Entre mim e o sol há uma noite...


( semente ?)

que canta
sem acordar,
entrelaçada no tempo e no vazio…

(Chovem voos de gaivotas de uma nuvem de cristais…)
Deixo-me gravar , pesado na areia
a imitar os dias que sonhei
a ouvir destinos-sem-ida ...

porque estou ali?

(Não sei! Tu, sabes? )
Estás a respirar o tempo,
embriagado no acreditar que vais,,, abraçado à vida!

8 comentários:

Menina_marota disse...

Pois é... Mudei o teu nome nos linkes...

Quando voltas?

Bom Carnaval ;)

jo ra tone disse...

Blog interessante que encontrei por acaso.
Locais que me são familiares.
Muito bem.
Bom carnaval

almaro disse...

menina marota: mas, não vale a pena esperares, já tentei reaparecer, mas deixei de me sentir na pele de almaro. só aqui figuro neste espaço como elo entre o jeremias, como se lhe tivesse passado o testemunho ( testamento?)...estou lentamente de despir-me dele, não há regresso possivel

Maria Clarinda disse...

Descobrir-te, ...ficarei para sempre a dever à Menina Marota, e, como foi bom.

© Piedade Araújo Sol disse...

Bonito monólogo. Eu não lhe chamaria assim, mas respeito...

beijo

jeremias disse...

jo ra tone: aque locais te referes? os do imaginário, ou aos das fotografias? sejam quais forem é sempre bom cruzarmo-nos com alguém que se passeia por entre os nossos próprios caminhos. faz deste espaço uma casa tua.

jeremias disse...

maria clarinda:a menina marota tem essa arte de nos levar pela mão a passear por entre os sonhos de cada um, sê bem vinda a este espaço

jeremias disse...

pi: mas é um monólogo ehehehheh