domingo, setembro 9

respirares



respiro tempestades na quietude de um olhar,
como quem sente ( bebe?) um beijo ( ausente!)

Sem comentários: