quarta-feira, setembro 12

vazio(s)



oco
de palavras,
de sons (ventos?)
de sentidos…
no entanto
vejo, em tons de azul,
a sombra
que se afoga
no chão-de-mim!