terça-feira, novembro 13

respirares

olho.te
.
.
.
quando te desenho no ver,
respiro.me em alma-de-nuvem a pairar sob cearas de papoilas…
desenho.te
.
.
.
no escuro das estrelas, perdido na luz das ondas que sibilam a saudade de um beijo ausente…
abraço.te
.
.
.
em pó-de-giz colorido no rebrilhar do rio,
conto o tempo no dedilhar da guitarra que me sorri, corda a corda
em acordes que calam o fado…
beijo.te
.
.
.
e no sentir calmo que me enlaça,
amo, e voo em passos que gravo,
descalço, no mar…

1 comentário:

Nane disse...

Olá..tanto tempo...estou indo morar no seu país..bj Vênus
Storm of emotions