sábado, março 31

tudo o mais, é mar...


tenho esta habilidade inata de me fingir inteligente… soubessem eles o esforço que faço para os entender e para compreender esta realidade que me estrangula as memórias, e agrilhoavam-me em quatro paredes coberto no silêncio dos loucos…
apenas sinto, com todos os poros do olhar e deixo o pensar  para os outros, para os que querem ser senhores das palavras,
eu, 
simplesmente deixo que as palavras me envolvam na ilusão de me existir inteiro,
(penso com os olhos das árvores e do  vento,
tudo o mais,
é mar!)

quinta-feira, março 29

dis-me papá...


papá, papá lembras-te daquele carrinho vermelho da tua colecção de menino, lembras-te papá?
roubei-to…e levei-o para escola...era tão bonito papá...
não tem mal, filhote! não o estragas-te pois não?
troquei-o papà... troquei-o pelo cromo do Ronaldo...estás zangado papá?
...não filhote, não estou zangado...
mas eu roubei-te papá...
olha filhote, lembras-te da história de Jesus, não lembras?
lembro sim papá...
e lembras-te da história do amigo de Jesus, lembras?
lembro sim, a daquele amigo de Jesus que o traiu?
sim, esse! e sabes porque se conta essa história? para que os homens  percebam que não são Deus... que sendo homens, erram, erram ao ponto de traírem o seu próprio amigo...
tu filhote, não és diferente dos outros, por isso a partir de hoje deposito toda a minha colecção de carrinhos à tua guarda!
guardo os teus carros de menino? eu papá? mas eu roubei-te...
sabes porque o faço filhote? porque acredito eu ti! porque tenho fé em ti filhote! voltando ainda à historia de Jesus, sabes porque é que Deus se fez homem? porque se transformou em Jesus? porque quis dizer-nos que acreditar Nele é fácil!...difícil, difícil é acreditar nos homens...
e tu papá acreditas em mim? é que ... ainda me falta o cromo do Figo...
acredito em ti, sim filhote...